A série de filmes dessa campanha, premiada em Cannes, mostram as mesmas histórias contadas de maneiras diferentes: a primeira versão segue o caminho natural da conversa, com a ordem direta dos acontecimentos. Já a outra representa a situação contada por alguém com dor de cabeça, com as ideias desordenadas e rearranjadas, formando outra história, com novos significados que representam várias outras dores de cabeça para a pessoa.                            Os filmes se caracterizam pelo bom humor e leveza, que é o tom que marca toda a comunicação de Anador. A ideia criativa foi baseada numa verdade: quando se está com dor de cabeça parece que tudo vira uma dor de cabeça e o desconforto causado pela dor parece deixar tudo meio fora da ordem. Tudo fica um pouco fora do lugar.